23 Abr

Angola, here I go…

angola-luanda

E será este o meu destino durante dois meses, a começar em meados do próximo mês. Dois meses de trabalho em terras africanas, onde, para além de uma experiência fora da Europa, será também a minha primeira experiência de trabalho além fronteiras, e ainda por cima num país tecnologicamente subdesenvolvido.

Podem contar desde já (e aliás como prometi à malta do Infosec-Pros-PT) com alguns relatos de experiências a nível das TI neste mercado.

É certo que irei para uma empresa específica fazer um trabalho específico, mas acredito que possa dali retirar alguma experiência a partilhar com as pessoas que acredito, cada vez mais, quererem sair deste país e emigrarem para outros destinos. Angola é certamente dos mais apetecíveis. Existem já cerca de 100 mil portugueses em terras angolanas.

Será de certo uma aventura diferente :-)

16 Jun

Meo + Vuvuzelas? Does not compute

Já aqui tinha falado várias vezes das Vuvuzelas. E já tinha dito que o Mundial iria ser sem som. E tem sido, na medida do possível.

No entanto, nunca fiquei tão satisfeito por ser cliente MEO até hoje.

Segundo o Celso Martinho, CTO da SAPO, já é possível aos clientes MEO filtrar o som das Vuvuzelas? Ele explica como no Blog dele. Anúncio oficial em tv.sapo.pt

Amanhã já devo ver os jogos mais descansado. Hip Hip…MEO!

13 Jun

Mais uma greve na CP…

Para quem não está informado (soube apenas há pouco quando abri a página do JN Online, isto para quem viaja diariamente na CP não me parece muito sério), haverá mais uma greve na CP na próxima terça-feira, entre as 05h00 e as 16h00.

6388B041AFB93E92A6DC3D5BED725B

Já o disse algures mas repito aqui. Esta situação quem pretende beneficiar? Ora vamos a dissecar um pouco isto:

  • A CP é uma empresa pública que ocupa a totalidade do espaço ferroviário português, alocado à REFER.
  • Nesse sentido, não há uma concorrência ferroviária que possa servir de alternativa a este serviço de transporte público.
  • As “alternativas rodoviárias” são demasiado escassas e caras para que se possam caracterizar como verdadeiras alternativas.
  • A maior parte das receitas da CP provêm de passes mensais, e não de bilhetes esporádicos.

Assim sendo, quem é que vai beneficiar com mais esta greve? O maquinista? A CP? O utente?

O maquinista vai ficar em casa, sem receber.

A CP vai receber o dinheiro do passe que já foi previamente pago, vai poupar em custos operacionais dado que não vai ter comboios a circular, vai poupar em salários que não paga aos seus trabalhadores.

O utente vai sair de casa ainda mais cedo, gastar dinheiro em outros transportes, ou então em gasolina + portagens + estacionamento para poder chegar ao seu local de trabalho. Isto quando, obviamente, já pagou o passe da CP.

Já vamos na quarta greve da CP (Maquinistas ou Revisores) este ano. Pelos vistos não será a última. Assumindo desde já todo o direito à greve que o trabalhador tenha, acho que esse direito só deve ser utilizado quando efectivamente conseguir marcar uma posição e causar efectivo prejuízo à entidade patronal, provando assim que as suas reinvindicações são legítimas, o que não é manifestamente o caso. Aqui quem se lixa será mais uma vez o mexilhão, ou seja, o zé povinho que tem de ir trabalhar diariamente, conformar-se com mais esta greve, e no dia seguinte volta à CP porque não tem outras alternativas.

Senhores maquinistas, senhores revisores….Sejamos sérios, OK?

04 Jun

Eu ainda sou do tempo…

…em que tinha de ir às aulas, fazer os exames todos, e esforçar-me para passar de ano.

Não, não sou do tempo da PGA. Entrei para o 10º ano na altura em que a PGA acabou. Mas fiz os exames nacionais a TODAS as disciplinas. Português, Matemática, Física ou Química, Inglês, Francês, Filosofia, Psicologia, etc etc etc.

Sim, eu sou do tempo da famosa Geração Rasca. A tal que não tinha objectivos, a tal que não tinha futuro, a tal do “Não pagamos..”, a tal que queria facilitismos em tudo, e sim, a tal que mostrou o cu à Ministra da Educação, então a Manuela Ferreira Leite.

Hoje em dia é tudo mais facilitado. Há as Novas Oportunidades, há os Magalhães, os E-Escolas e E-Escolinhas, os alunos só fazem os exames que precisam, há os Maiores de 23, há um Estatuto do Aluno, há regimes de faltas simples, e infelizmente também há um cada vez maior desrespeito nas salas de aulas para com os professores.

Se no meu tempo nos arrepiávamos sempre que ouviamos falar no Conselho Directivo, hoje os alunos até se riem…

Não bastava isto, os telemóveis dentro da aula, os professores que se suicidam, as Katyzinhas deste país, os alunos a suicidarem-se, agora abro o jornal e vejo que alunos com mais de 15 anos e no 8º ano, podem passar automaticamente para 0 10º fazendo apenas alguns exames.

Ora penso eu, se estão no 8º com 15 anos, é porque chumbaram de ano. Se chumbaram de ano, ou se estão a borrifar, ou não tem as capacidades necessárias ( e quando falo em capacidades não estou a dizer que são burros, mas que não conseguem transmitir para o papel os conhecimentos – e são tantos por aí). E se não passaram de ano, não os estou a ver a fazer um exame do nível do 9º ano. Suponho então que sejam exames “especiais” (leia-se facilitados).

Não sei se sou retrógado, ou se realmente as coisas estão a caminhar para o mau sentido. Vamos ser cada vez mais um país de Doutores e Engenheiros burros como uma porta. Sim, daqueles Engenheiros com cursos tirados ao Domingo e por fax.

E ainda por cima não nos resolve os problemas. Pelos vistos, continuamos com índices de Educação bastante baixos relativamente á Europa.

Digo-vos, tivesse eu 15 anos, deixava de estudar, os meus pais eram obrigados a manter-me até aos 18, e aí entrava nas Novas Oportunidades, vinha com um computador por meia dúzia de trocos, e fazia o 12º com uma perna às costas.

Mas não, eu fiz mesmo os exames todos. Eu não podia faltar às aulas. Eu não tinha telemóvel. Eu tremia sempre que um professor levantava a voz.

Mas sim, eu era da Geração Rasca. Mas posso dizer isto: era da Geração Rasca e COM MUITO ORGULHO.