16 Jun

Meo + Vuvuzelas? Does not compute

Já aqui tinha falado várias vezes das Vuvuzelas. E já tinha dito que o Mundial iria ser sem som. E tem sido, na medida do possível.

No entanto, nunca fiquei tão satisfeito por ser cliente MEO até hoje.

Segundo o Celso Martinho, CTO da SAPO, já é possível aos clientes MEO filtrar o som das Vuvuzelas? Ele explica como no Blog dele. Anúncio oficial em tv.sapo.pt

Amanhã já devo ver os jogos mais descansado. Hip Hip…MEO!

20 Jul

Está lançada a guerra!

zonVersus

meo

Está definitivamente lançada a guerra entre estes dois operadores.

Lê-se na comunicação social de hoje:

Na semana passada a Portugal Telecom apresentou junto do organismo que regula a publicidade uma queixa contra a Zon, a sua antiga PT Multimédia. No pedido entregue ao Instituto Civil para a Autodisciplina da Comunicação Comercial – ICAP, a empresa liderada por Zeinal Bava pedia que a Zon deixasse de poder anunciar os desenvolvimentos na sua rede como fibra, já que opera uma rede híbrida, que combina fibra e cabo.

A Zon responde agora com uma outra queixa visando o serviço Meo Fibra. Na nova queixa a dona da TV Cabo defende que a campanha Meo Fibra da PT “viola frontalmente os princípios da legalidade, honestidade, veracidade e leal concorrência”, de acordo com informação a que a Lusa teve acesso. Na opinião da empresa, a campanha viola os princípios do código de conduta do ICAP.

Na queixa entregue pela PT a semana passada ao mesmo organismo defendia-se que a Zon mantinha uma “campanha publicitária enganosa, desleal e desonesta” que tirava partido “de forma notória e evidente do investimento da PT na rede de fibra”.

Em ambos os casos diz a legislação que as empresas visadas pela acusação têm cinco dias para se manifestar, após notificação do ICAP. A informação recolhida junto dos alvos da queixa é usada pelo organismo para analisar a acusação e tomar uma decisão.

Tek.sapo.pt

Já aqui tinha dado conta do ataque da PT (Meo) à Zon a semana passada. Agora deu-se a contra resposta.

A pergunta que fica é: será que os utilizadores finais terão algo a ganhar com esta guerra? À partida a transparência e a veracidade da publicidade deverá ser agora mais viável e fidedigna. Mas daqui já esperamos tudo.