10 Jun

Escolas públicas sem sites há uma semana devido a mudança para nova rede informática

Retirado do Público Online:

Os sites e endereços de correio electrónico de milhares de escolas públicas que se encontravam alojados nos servidores das Fundação para a Computação Científica Nacional estiveram inacessíveis durante pelo menos oito dias devido à migração destas páginas para uma nova plataforma de rede fornecida pela Portugal Telecom.

O Ministério da Educação (ME) fez saber hoje que o e-mail dos estabelecimentos de ensino já estava a funcionar, mas os sites das escolas permaneciam inacessíveis.

De acordo com o ME, a mudança na infra-estrutura, que envolve todas as escolas públicas do básico ao secundário, deve-se “ao aumento exponencial nos acessos” à rede e não tem ainda um prazo para estar concluída. Segundo a tutela, os estabelecimentos de ensino foram todos avisados através das Direcções Regionais de Educação.

Há, porém, escolas que foram apanhadas de surpresa. Pedro Araújo, presidente da direcção da associação nacional de dirigentes escolares, e que é também presidente do conselho executivo da Escola Secundária de Felgueiras, diz não ter havido qualquer justificação para a interrupção no serviço. “Há cerca de uma semana quando o site e o e-mail ficaram indisponíveis não sabíamos sequer se o Ministério tinha conhecimento da situação ou se era apenas um problema de gestão da rede”, afirma.

Os endereços de correio electrónico institucionais funcionam como um canal privilegiado de comunicação entre os serviços do ministério e as escolas, por onde são emitidas convocatórias, circulares e outro tipo informação. A interrupção nas ligações obrigou, por isso, a que se recorressem a formas alternativas de comunicação com as escolas. “Recebemos alguma informação por correio normal, mas como não conseguimos ter acesso ao e-mail desconhecemos se houve alguma perda de informação”, refere Pedro Araújo.

Desde 1993 que a Fundação para a Computação Científica Nacional (FCCN) era responsável pela rede de Internet que unia as escolas públicas e que, em 2005, cobriu cerca de 8300 estabelecimentos de ensino com acesso internet de banda larga. Grande parte dos sites das escolas estavam associados à Rede Ciência Tecnologia e Sociedade (RCTS), que é gerida pela FCNN e que alberga os sites de outras instituições de investigação científica e educação.

Os dados estão a ser agora transferidos para uma plataforma alojada na PT e, de acordo com o ME, os serviços de manutenção da rede vão passar a ser prestados pela empresa Sysvalue.

Além dos sites e dos endereços electrónicos serão também transferidos para um novo alojamento de rede as plataformas de ensino e aprendizagem em linha (conhecidas como plataformas Moodle), que as escolas começaram a criar a partir de 2007 e que permitem criar espaços de apoio a disciplinas, projectos e outras actividades através da rede. Em relação aos dados que estavam alojados nestas páginas, o ME diz que não houve qualquer perda de informação e que esta voltará a ser disponibilizada em breve.

Só posso dizer que, se fizesse uma migração destas neste nível, no meu trabalho, com este delay, estava neste momento à porta do Centro de Emprego…

Hoje em dia o email é uma ferramenta fundamental, e a Web já começa a ser veículo de informação de exames e matérias de estudo, fazendo (finalmente) do e-learning uma realidade. É inadmissível e inaceitável que haja esta displicência com este bem de primeira necessidade nas escolas.

Sic transit gloria portugali

09 Jun

Direito à privacidade

Governo pondera apertar vigilância na Net
O Governo português quer seguir o exemplo britânico e as recomendações da União Europeia e registar os e-mails e chamadas feitas pela Internet.

O objectivo da medida é controlar comunicações terroristas que ponham em causa a segurança nacional.

Em causa vão estar todas as comunicações realizadas pelos portugueses, que ficam guardadas durante um ano e só podem ser acedidas mediante ordem judicial, noticia o Jornal Diário.

Ainda não há data para a publicação da lei, que não deixa de ser polémica por poder ser considerada um atentado à privacidade dos cidadãos.

http://exameinformatica.clix.pt/noticias/mercados/1002663.html

Mas tá tudo maluco? Agora a segurança serve de desculpa para tudo? Já não bastava ter a nossa vida invadida por supostas câmaras de segurança, os nossos carros artilhados com matrículas que permitem fazer tracking, os bancos com informação privilegiada sobre os nossos gostos e gastos com vista a obter um target mais direccionado nos mercados de consumo, agora vamos ter todo o nosso trâfego de Internet loggado e registado para verificação?

CHEGA! Estou farto de ser controlado. Estou farto de ser auditado. Estou farto que me controlem a porra da vida toda. Dizem mal da merda do BigBrother mas são piores que eles. Daqui a um tempo vão controlar os meus níveis de flatulência. Ainda falam em 25 de Abril? Ainda falam em Democracia? Ainda falam em liberdade de expressão?

E tudo isto a troco de quê? De uma falsa segurança? De um sistema menos burocrático e mais autónomo? ONDE!? ONDE, RAIOS PARTAM!

08 Jan

Zon 100 ( ou sem? ) Megas

219xhuh1

A Zon lançou ontem o seu novo serviço de Wideband de acesso à Internet. Acesso Cabo ou Fibra a 100Mb de download, 4 Mb de upload e tráfego ilimitado ( limitado obviamente à sua famosa PUA ), por “apenas” 54.99€ – acresce mensalidade de TV. Esta oferta é para já apenas para as zonas metropolitanas do Porto e Lisboa, suportada por uma rede híbrida de coaxial e fibra, e está assente na tecnologia EuroDocsis 3.0.

Será este o boom necessário para os serviços de IPTV e HDTV? Para já a cobertura não é famosa, e o motor de pesquisa não parece fiável – na empresa onde trabalho, e onde somos clientes Zon, diz-me que nem sequer cobertura por cabo tenho, e em casa dos meus pais, a 50km do Porto, diz-me que brevemente terei cobertura!

Se a Zon nem sequer consegue fornecer em condições o acesso Internet aos seus clientes cabo normais ( velocidades top a 30Mb ) e tem de recorrer a Traffic Shapping e à famosa PUA para poder dar condições razoáveis a todos os clientes, será que irá conseguir suportar estas velocidades? Estou inclusivamente para ver o tamanho do overhead. Os 4 Mb de upload são obviamente estrangulados com 100 Mb de Down…

Mais informações em www.zon100megas.com

21 Dez

Ciberia fecha as portas…

O Site Ciberia, uma das minhas visitas diárias na pesquisa de informação tecnológica, fechou à dias as portas. O site continua acessível, mas não vão ser publicados mais nenhuns artigos.

Em comunicado, a direcção editorial promete num futuro recente a continuação da publicação de conteúdos num espaço renovado, talvez pertença de outro “operador”.

O facto é que, nesta Web 2.0, o formato do website, já era algo “arcaico” e precisaria de uma renovação urgente. Sites de notícias puras e simples já não é tão apelativo nesta geração de blogging, tweeting, social networking, etc. Aguardemos então o futuro do Ciberia.