07 Jul

CP…mais uma vez em greve.

Parece que mais uma vez os trabalhadores da CP vão fazer greve. Já não é a primeira nem a segunda vez este ano que o fazem.

Já cansa esta greve sem efeitos nem resultados que só prejudicam o average joe que nada tem a ver com esta pseudo-luta. Mais uma vez amanhã vou ter de recorrer a transportes alternativos (leia-se carro), tendo já pago a assinatura mensal da CP.

Raios parta a falta de bom-senso que grassa neste país…

Notícia JN aqui

13 Jun

Mais uma greve na CP…

Para quem não está informado (soube apenas há pouco quando abri a página do JN Online, isto para quem viaja diariamente na CP não me parece muito sério), haverá mais uma greve na CP na próxima terça-feira, entre as 05h00 e as 16h00.

6388B041AFB93E92A6DC3D5BED725B

Já o disse algures mas repito aqui. Esta situação quem pretende beneficiar? Ora vamos a dissecar um pouco isto:

  • A CP é uma empresa pública que ocupa a totalidade do espaço ferroviário português, alocado à REFER.
  • Nesse sentido, não há uma concorrência ferroviária que possa servir de alternativa a este serviço de transporte público.
  • As “alternativas rodoviárias” são demasiado escassas e caras para que se possam caracterizar como verdadeiras alternativas.
  • A maior parte das receitas da CP provêm de passes mensais, e não de bilhetes esporádicos.

Assim sendo, quem é que vai beneficiar com mais esta greve? O maquinista? A CP? O utente?

O maquinista vai ficar em casa, sem receber.

A CP vai receber o dinheiro do passe que já foi previamente pago, vai poupar em custos operacionais dado que não vai ter comboios a circular, vai poupar em salários que não paga aos seus trabalhadores.

O utente vai sair de casa ainda mais cedo, gastar dinheiro em outros transportes, ou então em gasolina + portagens + estacionamento para poder chegar ao seu local de trabalho. Isto quando, obviamente, já pagou o passe da CP.

Já vamos na quarta greve da CP (Maquinistas ou Revisores) este ano. Pelos vistos não será a última. Assumindo desde já todo o direito à greve que o trabalhador tenha, acho que esse direito só deve ser utilizado quando efectivamente conseguir marcar uma posição e causar efectivo prejuízo à entidade patronal, provando assim que as suas reinvindicações são legítimas, o que não é manifestamente o caso. Aqui quem se lixa será mais uma vez o mexilhão, ou seja, o zé povinho que tem de ir trabalhar diariamente, conformar-se com mais esta greve, e no dia seguinte volta à CP porque não tem outras alternativas.

Senhores maquinistas, senhores revisores….Sejamos sérios, OK?