31 Dez

Haja bom português

Já aqui tinha referido uma gralha numa newsletter da Chip7, e até da Mbit. Hoje mais uma vez fui  brindado com outra gralha numa newsletter da Mbit .

No dia em que é notícia o facto de que os estudantes portugueses cada vez menos sabem escrever, qual vai ser o futuro da nossa língua?

Já é hábito, inclusivamente, ver grandes erros de português até nas legendas dos filmes e séries. O síndrome do “tracinho te” até já afectou escritores e jornalistas. Há alturas, até, em que chego a por em dúvida aquilo que aprendi na escola, e se ainda sei escrever em bom português…

28 Dez

O poder das Redes Sociais

Ensitel

A sabedoria popular diz-nos e com razão: para construirmos uma imagem, demoramos anos. Para a destruir, basta um segundo.

O que este dito nos pode ensinar é que devemos medir bem todas as nossas acções, sob o risco de mancharmos de forma inequívoca a imagem até então construída.

A Ensitel deve ter percebido isso hoje, e da pior forma.

Abreviando a história, a JonasNuts, conhecida blogger portuguesa, teve há pouco mais de um ano, alguns problemas com esta empresa fornecedora de telemóveis, e relatou no seu blog os problemas que teve e que inclusivamente terminaram em Tribunal.

Como blogger que é, relatou no seu blog os vários passos do processo (ver abaixo).

Os advogados da Ensitel mandaram agora à dita JonasNuts uma citação pessoal, intimando-a a apagar os ditos posts do blog.

É fácil, portanto, de imaginar a mini-revolução que isto causou na blogosfera portuguesa. Não querendo aqui entrar em pormenores de quem tem ou não razão no processo, o facto é que isto causou uma pequena tempestade, e hoje a #ensitel é uma das hashtags mais twittadas, pelos piores motivos. A Daniela Espírito Santo explica mais sobre isto no artigo do JN.

A Ensitel terá também começado a censurar os posts feitos na sua página da popular rede social Facebook.

Neste caso, a Ensitel terá subestimado o poder das redes sociais. A forma como se espalha a mensagem hoje em dia é de uma rapidez inacreditável, e gerou aqui um movimento, do qual a Ensitel só terá a perder.

É que a notícia já chegou ao JN, à TVI24, a Exame Informática, ao Destak, e não tardará a chegar a outros orgãos da Comunicação Social. No Google, nos 10 primeiros links, 7 já são referentes a esta história.

Mais ainda, para além de menosprezar a blogosfera portuguesa, terá ainda tentado impedir um cidadão português de manifestar a sua opinião perante o serviço que lhe foi prestado por essa empresa. Não será caso de violação da Constituição no que diz respeito à Liberdade de Expressão e Informação?

As empresas portuguesas, como prova este caso da Ensitel, tem ainda muito que aprender quanto à sua presença na Web e na forma como esta pode permitir transmitir a informação. Seria bom que este caso desse para que muitas empresas repensassem a sua política de comunicação.

Ficam aqui os links para os posts da Jonasnuts sobre o assunto:

Take 1

Take 2

Take 3

Take 4

Take 5

Take 6

Take 7

A Citação

E também alguns blogs que noticiaram o acontecimento:

http://ricardoraimundo.com/2010/12/ensitel-bem-vinda-as-redes-sociais/

http://lpm.blogs.sapo.pt/655987.html

http://mrsteed2.blogspot.com/2010/12/momentos-douradinhos-edicao-especial.html

http://jugular.blogs.sapo.pt/2393687.html

http://inmytech.wordpress.com/2010/12/28/ensitel-e-muitos-problemas/

http://abertoatedemadrugada.com/2010/12/ensitel-no-seu-melhor.html

http://blog.nonsensebb.com/2010/12/28/ensitel-relacoes-publicas-nao-advogados

 

04 Jun

Eu ainda sou do tempo…

…em que tinha de ir às aulas, fazer os exames todos, e esforçar-me para passar de ano.

Não, não sou do tempo da PGA. Entrei para o 10º ano na altura em que a PGA acabou. Mas fiz os exames nacionais a TODAS as disciplinas. Português, Matemática, Física ou Química, Inglês, Francês, Filosofia, Psicologia, etc etc etc.

Sim, eu sou do tempo da famosa Geração Rasca. A tal que não tinha objectivos, a tal que não tinha futuro, a tal do “Não pagamos..”, a tal que queria facilitismos em tudo, e sim, a tal que mostrou o cu à Ministra da Educação, então a Manuela Ferreira Leite.

Hoje em dia é tudo mais facilitado. Há as Novas Oportunidades, há os Magalhães, os E-Escolas e E-Escolinhas, os alunos só fazem os exames que precisam, há os Maiores de 23, há um Estatuto do Aluno, há regimes de faltas simples, e infelizmente também há um cada vez maior desrespeito nas salas de aulas para com os professores.

Se no meu tempo nos arrepiávamos sempre que ouviamos falar no Conselho Directivo, hoje os alunos até se riem…

Não bastava isto, os telemóveis dentro da aula, os professores que se suicidam, as Katyzinhas deste país, os alunos a suicidarem-se, agora abro o jornal e vejo que alunos com mais de 15 anos e no 8º ano, podem passar automaticamente para 0 10º fazendo apenas alguns exames.

Ora penso eu, se estão no 8º com 15 anos, é porque chumbaram de ano. Se chumbaram de ano, ou se estão a borrifar, ou não tem as capacidades necessárias ( e quando falo em capacidades não estou a dizer que são burros, mas que não conseguem transmitir para o papel os conhecimentos – e são tantos por aí). E se não passaram de ano, não os estou a ver a fazer um exame do nível do 9º ano. Suponho então que sejam exames “especiais” (leia-se facilitados).

Não sei se sou retrógado, ou se realmente as coisas estão a caminhar para o mau sentido. Vamos ser cada vez mais um país de Doutores e Engenheiros burros como uma porta. Sim, daqueles Engenheiros com cursos tirados ao Domingo e por fax.

E ainda por cima não nos resolve os problemas. Pelos vistos, continuamos com índices de Educação bastante baixos relativamente á Europa.

Digo-vos, tivesse eu 15 anos, deixava de estudar, os meus pais eram obrigados a manter-me até aos 18, e aí entrava nas Novas Oportunidades, vinha com um computador por meia dúzia de trocos, e fazia o 12º com uma perna às costas.

Mas não, eu fiz mesmo os exames todos. Eu não podia faltar às aulas. Eu não tinha telemóvel. Eu tremia sempre que um professor levantava a voz.

Mas sim, eu era da Geração Rasca. Mas posso dizer isto: era da Geração Rasca e COM MUITO ORGULHO.